Blog

Empresa blindada: as vantagens do auto-controle para a indústria de alimentos

Quem trabalha nos setores de Gestão da Qualidade de indústria de alimentos sabe bem dos desafios que envolvem manter-se a par de todas as exigências da área. Tanto na produção, na indústria ou no varejo, existe uma série de critérios que devem ser atendidos para que a empresa seja considerada conforme e possua permissão de continuar comercializando seus produtos.

Embora existam regulamentos bastante específicos para cada tipo de produto, algumas considerações são universais. Os profissionais da Qualidade têm objetivos similares: manter-se livre de problemas com a fiscalização, garantir que os alimentos produzidos sejam de qualidade, melhorando a recepção do produto pelo público e aumentando as vendas.

 

Assim como possuem alguns objetivos similares, os profissionais da Qualidade compartilham de alguns receios, os quais costumam girar em torno de não-conformidades e recalls. As ameaças são muitas e é um desafio manter-se à frente de todas. Incidentes pontuais podem resultar, inclusive, em ações de longo prazo para tentar recuperar prejuízos que podem ganhar dimensões muito maiores do que inicialmente previsto.

 

O que precisamos e o que evitamos?
O que precisamos e o que evitamos?

 

O objetivo da Myleus é ser uma grande parceira para os profissionais da área de alimentos. Por isso, estamos sempre nos questionando na busca de uma otimização constante dos nosso serviços: o que o Responsável Técnico da indústria de alimentos precisa? O que o proprietário deseja?

 

As nossas soluções de auto controle auxiliam a indústria a alcançar os objetivos de qualidade do produto – e o melhor, tudo em um só lugar, um só relatório com análises completas. A sua empresa fica segura, à frente da fiscalização e aumenta sua proposta de valor. Entenda como:

 

Garantia

 

Um RT ou proprietário de indústria de alimentos deve estar sempre a par das ferramentas existentes para garantir a idoneidade de seu negócio. É o uso dessas ferramentas que permite a garantia de que a empresa está fazendo a sua parte em prezar pela qualidade de seus produtos.

 

Atualmente, existe uma série de problemas relacionados a alimentos cuja ocorrência frequente fez com que as ferramentas de prevenção tenham se tornado populares ou até mesmo mandatórias, como no caso do Manual de Boas Práticas e o HACCP. Mas elas vão muito além disso, e é trabalho da indústria utilizá-las no auto-controle – afinal, se a existência delas é pautada na frequência dos problemas, sabe-se que estamos todos vulneráveis a eles.

 

Em uma perspectiva jurídica, programas de auto-controle bem-estruturados são importantes ferramentas para proteger as indústrias de eventuais processos associados a acusações de dolo ao consumidor.

 

É evidente que nem toda não-conformidade é praticada pelas indústrias de forma dolosa, ou seja, quando a empresa tem a intenção de executar ação criminosa. Entretanto, mesmo nesses casos, quando, por exemplo, uma indústria adquire um produto não conforme de seu fornecedor, o estabelecimento pode passar a responder a uma ação praticada de forma culposa, ou seja, não intencional, mas resultante de imprudência, imperícia ou negligência.

 

Caracteriza-se imprudência quando o agente é inobservante das precauções necessárias para evitar determinado acontecimento;

 

A imperícia é a falta de habilidade, aptidão ou conhecimento técnico necessário para a realização de certas atividades e cuja ausência, por parte do agente, o faz responsável pelos danos ou ilícitos penais advenientes;

 

Já a negligência trata-se de inobservância e descuido na execução de ato, ausência de precaução (cuidado), atenção em relação ao ato realizado.

 

Realizar um programa de auto-controle robusto e que comprove que a indústria está tomando todos os cuidados possíveis para garantir a qualidade dos produtos é fundamental para que a mesma não incorra em responder a acusações de natureza culposa.

 

Segurança

 

Um dos mais importantes desejos dos profissionais da indústria é sentir que sua empresa está segura e livre da ameaça de sanções. Cada tipo de produto possui normatizações específicas que devem ser seguidas da produção à prateleira, e é importante manter-se atualizado e em conformidade com elas.

 

Entre as sanções previstas, estão:

 

Autuações

 

A empresa autuada pode sofrer uma medida cautelar, que consiste em condicionar a expedição de produtos para o comércio mediante comprovação de que elas atendem aos requisitos legais. As câmaras de expedição das empresas são lacradas pela fiscalização, de modo que os produtos em estoque e produzidos após a instalação da medida cautelar só possam ser expedidos depois uma avaliação oficial de cada lote, comparando-se com os documentos de rastreabilidade desde a matéria-prima até o produto final.

 

Regime de Alerta de Importação (RAI)

 

O Regime de Alerta de Importação é uma condição aplicada àqueles que tiveram problemas com matéria de importação. A maioria destes envolvem situações de não-conformidade dos produtos. A maior parte delas são por fraude econômica, que gera uma concorrência desleal entre produtos nacionais e desestimula as relações da indústria, gerando quebras e desconforto muito grande entre as partes.

 

O RAI prevê esforços em tentar identificar irregularidades nos produtos importados, relativos à composição do produto, padrões de conformidade físico-químicos e microbiológicos, legislação, presença de resíduos de medicamentos e substâncias contaminantes, patógenos, fraudes, falsificações, adulterações e outras ações de perigo à saúde pública.

 

Processos e prisões

 

As indústrias flagradas em não-conformidades podem ser submetidas a processos judiciais e até mesmo ter decretada a prisão de funcionários. Na Operação Poseidon, que em 2014 foi executada no combate à fraude em pescado,  houve a prisão em flagrante de quatro pessoas, em determinada empresa investigada, por conta da apresentação de documentos falsos de rastreabilidade quando da diligência de busca e apreensão realizada na presente data, configurando o crime previsto no artigo 304 do Código Penal. Foi arbitrada fiança nos valores de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) ao responsável legal pela empresa, e R$ 5.000,00 (cinco mil reais) aos funcionários que apresentaram documento falso a mando do primeiro.

 

Tranquilidade

 

Análises físico-químicas. Análises microbiológicas. Análises de DNA… mil relatórios para ler, interpretar e definir? As medidas de auto-controle muitas vezes acabam se tornando mais um problema, em vez de uma solução.

 

É por isso que a Myleus faz tudo por você. Não precisa mais terceirizar diversas empresas e receber pilhas e  mais pilhas de laudos para interpretar. A Myleus cuida de tudo. Emitimos relatórios completos e análises prontas, para que você tenha mais tranquilidade.

 

Vendas

 

Você pode estar se perguntando: como um programa de auto-controle pode ajudar no aumento de vendas para uma indústria de alimentos? A conexão é simples: Transparência gera valor. Transparência vende.

 

Os motivadores tradicionais de compra (preço, sabor e conveniência) continuam pesando na decisão de compra de alimentos e bebidas. No entanto, segundo um estudo recente, novos motivadores estão entrando cada vez mais na racionalização do consumidor.

 

Os novos motivadores são:

  • Saúde e bem-estar
  • Segurança alimentar
  • Impacto social
  • Experiência com o produto
  • Transparência

 

A implantação de um programa robusto de auto-controle pode ser utilizado em ações de marketing que gere empatia e conexão com os consumidores. Isso pode ser utilizado como diferencial e até mesmo o carro-chefe da comunicação da empresa.

 

Boa reputação

 

Embora a gestão da Qualidade seja algo extremamente complexo, a percepção do consumidor é bastante simplificada. Em termos gerais, o que as pessoas enxergam é o arquétipo do “quem não deve não teme” e, por consequência, empresas transparentes quanto aos seus processos são vistas como mais confiáveis.

 

Algumas empresas apostam alto quando se trata de confiar na transparência para promover os seus produtos. Veja mais em: 5 cases de sucesso em gerência da qualidade para você se inspirar.

 


a-gestao-da-qualidadeFicou interessado e quer saber como usar a Gestão da Qualidade para vender mais? Clique na imagem e acesse um e-book que vai te contar as técnicas e o caminho para unir a Qualidade e o Marketing e alavancar as suas vendas!

Comente com o Facebook

Write a comment